Lição de Gestão de Crise pela CNN ao demitir o âncora mais relevante da emissora.



Cancelamento ou simplesmente discernimento por parte da emissora?

Em agosto de 2021, o então governador de Nova York, Andrew Cuomo, foi afastado de seu cargo após ter sido acusado de assédio sexual por 11 mulheres. Na última terça-feira, seu irmão, Chris Cuomo, o principal âncora da CNN americana, foi afastado de seu cargo por ter supostamente- até então - ajudado seu irmão a se defender das acusações. Hoje, após a conclusão da investigação foi oficialmente demitido.

Talvez você conheça o movimento #MeToo, que luta contra todos os tipos de abusos e assédios sexuais. INFELIZMENTE, o assédio sexual é uma realidade e ocorre com grande frequência no ambiente profissional.

O caso do poderoso ex-Presidente e CEO da Fox News, Roger Ailes, está entre os mais conhecidos. Inclusive, o filme Bombshell foi produzido para mostrar toda a real sujeira dentro da empresa. Para quem gosta de maratonar séries, a vencedora do Emmy, The Morning Show, também relata os bastidores de importantes figuras públicas acusados de assédio sexual.


Principal lição da gestão de crise por parte da CNN

Talvez a principal lição a ser aprendida nesse cenário tenha sido a proatividade da CNN em investigar o problema de maneira eficiente: ao invés de esperar o desfecho do caso do ex-governador, a emissora (CNN) decidiu contratar serviços externos para investigar o caso, e assim garantir confiança dos stakeholders, credibilidade e imparcialidade no resultado final. Parabéns #CNN!


*Caso seja de interesse, segue aqui a transcrição do depoimento do apresentador Chris Cuomo.


58 visualizações0 comentário